quarta-feira, 11 de março de 2009

Quando acho que já vi demais, eu não vi nada ainda

Link das notícias:

Cliente é obrigado a tirar sapatos para entrar em banco de Jundiaí

Vídeo mostra mulher tirando a blusa para entrar em banco no interior de SP

Você sabe o quão árduo pode ser uma ida ao banco?! Levantar cedo, esperar em filas, separar contas, ver o dinheiro se esvair, mas nada mais chato do que passar pela porta giratória. Pois é, esse exato momento constrangedor onde você tem que tirar da sua bolsa o que possui metal deixando todo mundo bem alerta que você tem mp3, carteira, celular, entre outras coisas que você não quer sair por aí exibindo, esse momento é o pior. Pense um pouquinho, quando foi que uma roleta dessas impediu alguém de atirar dentro de uma agência? Ou até mesmo de assaltá-la com tudo que se tem direito?! Nunca. NUNCA! Daí, essas monstruosas máquinas de metal apitantes só servem pra te humilhar, passar vergonha, ter que tirar o cinto porque a fivela é de metal ou coisa do gênero. Só que ultimamente a neura é tanta que as coisas passaram do limite no estado de São Paulo. Uma mulher teve que tirar até a blusa para acessar uma agência do Banco do Brasil, e um homem precisou entrar sem os sapatos em outra agência por estes serem de material metálico. É um absurdo que ninguém tenha dado importância para notícias como essas duas acima. Eu encontrei ambas escondidas no G1 durante uma aula de Jornalismo Online, olha que eu procurei, heim! Isso é capa de jornal, abuso dos direitos individuais à privacidade, quebra de conduta ética e moral. São coisas pequenas como essas que acontecem todos os dias e são ignoradas pela mídia, por serem vistas como banais ou por não afetarem pessoas importantes. São coisas que, com certeza, precisam mudar.

Por Deborah Cattani

Um comentário:

  1. Já sofri, mais de uma vez, a frustração de ter a porta giratória travada ao tentar acessar agências do meu banco. Uma vez foi por causa da minha pasta da faculdade, que tinha botões de metal, e outra foi por causa de um cinto que eu estava usando. Nessas horas, eu prefiro mil vezes as lotéricas e agentes autorizados para pagar contas e os terminais eletrônicos para sacar dinheiro dentro de xópins (está bem, shoppings!), supermercados e afins. Inclusive em dias chuvosos em que se está carregando guarda-chuva, para mim, é um suplício ter que entrar no banco!
    Só vou quando muito necessário.
    Abraço e boa tarde.

    ResponderExcluir

Solte o verbo...